posts recentes

Feist no Royal Albert Hal...

Boris é o mais divertido ...

100 anos de Ian Fleming n...

Britânicos relembram ataq...

Ver passar os barcos

Goth Rock regressa ao pal...

Londres festeja cultura d...

Ricardo Afonso...um genuí...

Greve nos Oscars, nova es...

...

arquivo

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Correio

e-mail
Sexta-feira, 30 de Março de 2007

Vinhos portugueses à conquista do mercado britânico na 10ª prova anual organizada pelo Icep / ViniPo

 

Mais uma conquista para o mercado vinícola português no Reino Unido foi a 10ª edição da Prova Anual dos Vinhos Portugueses que, este ano, teve lugar no Estádio de Cricket , Lords , em Londres.
Com mais dez por cento de marcas do que no ano anterior, o evento organizado pelo Icep em colaboração com a ViniPortugal é o maior do género jamais realizado com vinhos portugueses no Reino Unido.
Representando todas as regiões do país, bem como as diferentes castas e variedades de vinho produzidas em Portugal, o Portuguese Wine Tasting ” tem, como objectivo apresentar Portugal enquanto país de produção vinícola aos estrangeiros.
“É um trabalho difícil mas apaixonante porque os nossos vinhos têm vindo a ganhar posição, têm melhorado em termos de qualidade, têm ganho uma percepção junto do consumidor de que são vinhos bons e isso é gratificante para o nosso trabalho”, explicou o coordenador do Icep em Londres, António Silva. 
Com mais de oitenta produtores presentes, o evento abriu pela primeira vez as suas portas ao público através dos clubes de vinhos, uma medida vista pelo presidente da ViniPortugal , Vasco d’Avillez , como essencial para a futura promoção de Portugal no mercado.  “A prova em si não deverá crescer muito mais do que isto porque não há muito mais agentes económicos a quem valha a pena vir. O que eu vejo é um dia nós termos os mesmo produtores a trabalharem oito horas com o público e duas com os importadores porque, nessa altura o mercado profissional já terá conhecimento sobre o vinho português”, afirmou.
Outra novidade na edição deste ano foi a criação de uma prova na capital escocesa que se realizou na passada quinta-feira. É uma tentativa de diversificar e de não ficarmos limitados a Londres. “Já foram feitas provas na Escócia mas não com a dimensão deste ano, afirmou o António Silva.

por JN às 12:25
link do post | comentar | favorito
|

Pesquisar no blog

 

Maio 2008

tags

todas as tags

subscrever feeds