posts recentes

Feist no Royal Albert Hal...

Boris é o mais divertido ...

100 anos de Ian Fleming n...

Britânicos relembram ataq...

Ver passar os barcos

Goth Rock regressa ao pal...

Londres festeja cultura d...

Ricardo Afonso...um genuí...

Greve nos Oscars, nova es...

...

arquivo

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Correio

e-mail
Quinta-feira, 25 de Janeiro de 2007

The Who em Glastonbury

Um dos maiores festivais de música do mundo e uma das maiores bandas de todos os tempos...querem melhor receita do que esta? Pois é, os membros sobreviventes  Roger Daltrey , 62, e Pete Townshend , 61) de uma das mais famosa bandas do mundo confirmaram hoje (25/01/07) que vão participar no festival. Gastonbury , que regressa este verão após um ano de descanso, promete ser a maior edição de sempre do Festival após uma expansão no espaço que passa a ter capacidade para 137 mil pessoas.  Irão também participar na edição deste ano os The Killers , Artic Monkeys e  Bjork , entre outros.

por JN às 18:00
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 23 de Janeiro de 2007

Baleia do Tamisa volta a captar a atenção do público

Precisamente um ano depois do dramático aparecimento de Willy " nas águas do Tamisa, a jovem baleia que acabou por morrer nas mãos da equipa de salvamento está agora em exibição na capital britânica. Trata-se de uma oportunidade única de ver um esqueleto real de uma baleia mas que apenas durará uma semana porque Willy " será depois transportada para o Museu de História Natural NHM ) de Londres onde será usada para pesquisa . A jovem baleia do norte do Atlântico foi encontrada a 20 de Janeiro do ano passado a nadar nas águas do Tamisa. A imagem única chamou a atenção do público que, durante dois dias, se juntou nas margens para fotografar ou apenas ver a baleia que se tornou notícia um pouco por todo o mundo. No entanto, o ambiente festivo que se vivia na capital britânica no primeiro dia, transformou-se num ambiente de luto quando, ao final do dia seguinte, Willy " morreu por desidratação. Desde então, a comunidade cientista britânica decidiu oferecer a Willy " a imortalidade na forma de objecto de estudo científico. A iniciativa de mostrar o esqueleto ao público partiu do diário The Guardian " em conjunto com a direcção do NHM . "Estamos a contar com milhares de pessoas a aproveitarem esta oportunidade única", afirmou o curador da exposição. Juntamente com o esqueleto de Willy " a exposição mostra também uma colecção de imagens e vídeos da tentativa de salvamento da baleia. A entrada é gratuita até à próxima sexta-feira e ainda não é claro se Willy " voltará a ser exposto ao público, uma decisão a tomar pela direcção do NHM .

por JN às 15:43
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 19 de Janeiro de 2007

Protesto ganha forma de arte

Já todos vimos, de uma forma ou de outra, ao vivo ou na televisão, o protesto de Brian Haw - o inglês que se instalou à porta do Parlamento britânico a 2 de Junho de 2001, como forma de protesto contra a política britânica em relação ao  Afeganistão e ao Iraque. Mesmo depois de o governo britânico proibir qualquer forma de protesto em redor do Parlamento, o seu protesto manteve-se inabalável. Os cartazes com mensagens antiguerra dirigidas a Tony Blair e ao Parlamento já viajaram por todos os canais de televisão do mundo mas Haw nunca terá imaginado, no entanto, que a sua longa campanha se viria a transformar em arte. Pois, para surpresa de Haw e dos demais, foi precisamente a Tate Britain que agarrou a ideia proposta por Mark Wallinger . O artista britânico reproduziu a campanha de Haw numa instalação que estará em exibição até ao dia 27 de Agosto. State Britain " é fiel ao trabalho de Haw em todos os pormenores incluindo detalhes da uma vida passada na rua. A tenda impermeável , que já faz parte da "mobília" de Parlament Square , os cartazes e até a zona onde Haw faz o seu Chá, são recriados dando à instalação uma  dinâmica muito particular. Para o autor, a instalação levanta questões como "a liberdade de expressão e a erosão das liberdades civis no Reino Unido de hoje".  

por JN às 13:35
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 16 de Janeiro de 2007

Snuff regressa à alta moda londrina

Quem ainda se lembra do Snuff ? Não, não estamos a falar de pornografia mas antes de uma forma de tabaco. O Snuff não é nada mais nada menos do que tabaco em pó que é consumido através de inalação. Vendido em pequenas latas, o Snuff era, na Londres do século 17, um símbolo de estatuto social e moda, e era consumido como os cigarros são hoje fumados. No entanto, enquanto que os cigarros têm consequências prejudiciais para os não fumadores, o Snuff é uma forma de ingestão de nicotina muito menos egoísta. E, da mesma forma que o tabaco em pó desapareceu com o aparecimento do cigarro, agora, com o desaparecimento forçado do cigarro dos locais públicos, o  Snuff renasce! A partir de 1 de Julho, a lei britânica proíbe os fumadores de acenderem os seus cigarros dentro de Pubs, bares e restaurantes mas os viciados em nicotina já encontraram uma alternativa. O Snuff já está a ser vendido em Pubs e as vendas têm-se vindo a multiplicar assim como o número de consumidores, indicando que "sniffar " em Londres pode vir a ser legal.   

por JN às 23:58
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 8 de Janeiro de 2007

Menu No.5 - uma coreografia portuguesa em Londres

Mais um exemplo da forte actividade artística dos portugueses em Londres é Pedro Pires. O jovem de 30 anos abandonou a física para se dedicar já tardiamente à dança...mas a idade não é um problema para o bailarino e coreógrafo de 31 anos que apresenta no próximo dia 18 o seu primeiro trabalho profissional. Pedro chegou a Londres há apenas 2 anos para estudar dança mas a capital britânica é apenas o mais recente ponto de paragem na carreira do português que, durante os últimos dez anos, tem andado à procura de um estilo ao qual conseguisse adaptar os seus interesses. Antes disso, a dança estava  longe do seu pensamento. Pedro era um homem das matemáticas e físicas, não deixando adivinhar nunca o seu potencial artístico. Foi no Porto, enquanto estudava física, que Pedro descobriu o teatro e a dança e decidiu partiu à descoberta do seu talento. passou por Évora, Lisboa, Madrid e finalmente Londres onde actualmente reside mas "não por muito tempo. O próximo destino é Amesterdão ", garante. Mas, para já, Pedro tem um projecto em que se concentrar. "Menu No.5 " é uma coreografia que debate o tratamento dos animais na linha de produção alimentar e a sua apresentação faz parte do festival Revolution ! organizado pelo teatro The Place " - um dos mais importantes promotores de dança da Europa. Paralelamente à coreografia, Pedro Pires apresenta ainda uma exposição fotográfica sobre o mesmo tema e que, segundo o autor, "serve como um prelúdio para a coreografia". Para já, a peça terá apenas uma apresentação no "The Place" mas o português tem já planos de levar a sua coreografia a Portugal.

por JN às 14:06
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 4 de Janeiro de 2007

Cinema Português Projectado em Newcastle

Depois de umas merecidas férias, o Escala em Londres regressa agora em 2007 com toda a força para vos dar o melhor de Londres em 2007. Começamos com o que andam a fazer os portugueses na capital britânica (e arredores) finda a época do Bolo Rei e da Farturas. No nosso regresso a casa, viajamos na companhia do realizador português António-Pedro Vasconcelos para mais tarde nos apercebermos que se deslocava para Newcastle onde está a decorrer um pequeno festival de cinema português. O festival, que arrancou no início de Novembro e está a decorrer na Universidade de Newcastle, é uma iniciativa do Centro de língua portuguesa do Instituto Camões e conta ainda com a projecção de filmes de António Botelho (Três Palmeiras), Lauro António (Manhã Submersa), Manoel de Oliveira (A Caixa) e José Fonseca e Costa (Cinco Dias, Cinco Noites) que chegarão às salas da Universidade de Newcastle até ao dia 16 de Maio. " O Lugar do Morto" de António-Pedro Vasconcelos é o próximo filme português a ser projectado em Newcastle, já no dia 10 de Janeiro.

 

por JN às 09:26
link do post | comentar | favorito
|

Pesquisar no blog

 

Maio 2008

tags

todas as tags

subscrever feeds