posts recentes

Feist no Royal Albert Hal...

Boris é o mais divertido ...

100 anos de Ian Fleming n...

Britânicos relembram ataq...

Ver passar os barcos

Goth Rock regressa ao pal...

Londres festeja cultura d...

Ricardo Afonso...um genuí...

Greve nos Oscars, nova es...

...

arquivo

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Correio

e-mail
Terça-feira, 10 de Outubro de 2006

Escorregas na Tate Modern

Já imaginou ir a um museu de arte contemporânea para se lançar de um escorrega de aço inoxidável? Provavelmente não. Mas esta será a realidade para muitos dos visitantes da Tate Modern durante os próximos seis meses. O grande hall de entrada do museu, conhecido como Turbine Hall, foi hoje transformado num enorme parque de diversões com uma série de escorregas gigantes em forma de tubo a serem apresentados pela primeira vez ao público. Para Carsten Höller , autor da impressionante instalação, Test Site (conforme é intitulada a exibição) funciona como uma experiência artística na qual é fundamental a participação humana. "A experiência do parque de diversões é completamente subestimada,  e eu não compreendo porque é que ela não pode ser levada mais a sério a nível artístico e filosófico", explica Höller , para quem os escorregas representam um eficaz meio de transporte. "Além disso, o escorrega é uma forma de libertar tensões do dia-a-dia, dando-nos um momento de alívio". No mundo da arte, no entanto, os tubos são vistos como esculturas e como "uma obra arquitectónica perfeitamente segura", assegura a Tate Modern . Mas este é um brinquedo só para os mais grandinhos uma vez que existem restrições para quem pode "escorregar".

 

 

por JN às 16:58
link do post | comentar | favorito
|

Pesquisar no blog

 

Maio 2008

tags

todas as tags

subscrever feeds