posts recentes

Feist no Royal Albert Hal...

Boris é o mais divertido ...

100 anos de Ian Fleming n...

Britânicos relembram ataq...

Ver passar os barcos

Goth Rock regressa ao pal...

Londres festeja cultura d...

Ricardo Afonso...um genuí...

Greve nos Oscars, nova es...

...

arquivo

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Correio

e-mail
Quinta-feira, 12 de Outubro de 2006

Futuros Saatchis correm para a Frieze

Um exemplo do movimento artístico da capital britânica...durante os próximos dias, o Regent's Park transforma-se numa gigante sala de exposições por onde se podem ver as mais recentes obras de centenas de artistas que aqui vêm expor na esperança de que algum Saatchi lhes descubra o talento. Obras para todos os gostos e feitios (algumas delas ainda com a tinta fresca) pedem pelo reconhecimento e, a passearem-se pelos corredores, dezenas de coleccionadores e aspirantes, procuram o seu tiro de sorte...uma obra ou um artista que se conquiste o reconhecimento do mundo  transformando uma aquisição num compensador investimento. Nem sempre foi assim em Londres. Segundo a portuguesa Paula Rego, Londres dos anos 50 e 60 não respirava arte como hoje. Todos os artistas lutavam pela vida e a pintura ou a escultura tinham que ganhar o estatuto de "hobbie" por uma questão de sobrevivência. "Foi Saatchi que veio mudar o mercado da arte neste país", diz. Mas a verdade é que, no século XXI, não foi apenas para os artistas que a vida mudou...também as galerias e os coleccionadores têm hoje inúmeras oportunidades de "negócio". A Frieze é o exemplo disso. Talvez uma das maiores feiras de arte do mundo, é sem dúvida o tema da semana entre os artistas e eruditos da cidade. Todos querem lá estar e todos lá vão dar uma vista de olhos. Os portugueses não são excepção e entre os participantes, o Escala em Londres, encontrou a Galeria Filomena Soares que representa artistas como Vasco Araújo, Inês Botelho, Pedro Casqueiro e o jovem português residente em Londres, Rodrigo Oliveira. Para os que preferem um ambiente mais musical, a feira também oferece duas noites de música com "The Curtains", "Liars" e "Sunn" a tocarem nas noites de sexta-feira e sábado.

por JN às 21:00
link do post | comentar | favorito
|

Pesquisar no blog

 

Maio 2008

tags

todas as tags

subscrever feeds